Author Archives: novaaguia

Prémio Vida e Obra do III Festival TABULA RASA: Fernando Dacosta

Para mais informações:

https://www.tabularasa.pt/

Anúncios

Também no jornal Público: “Portugal, a Venezuela e a Lusofonia”

IMG01662-20190209-1228

O caso da Venezuela é um exemplo paradigmático de como uma política externa realmente comum da União Europeia pode ser objectivamente contrária aos interesses de alguns países – neste caso, de Portugal.

Não que, neste caso, a União Europeia não tenha toda a razão. A Venezuela tornou-se numa anedota democrática, que só a extrema-esquerda indígena consegue (sem se rir) defender. Aceitarmos que o regime venezuelano, tendo perdido as Eleições Legislativas, poderia depois criar uma auto-proclamada Assembleia Constituinte para deslegitimar a Assembleia Legislativa, seria dinamitar todo o conceito de Democracia.

Simplesmente, Portugal está, neste caso, numa posição particularmente delicada. O regime venezuelano tem como reféns humanos algumas centenas de milhares de portugueses e luso-descendentes e já começou a fazer ameaças – nalguns casos, ainda de forma velada, noutros casos, já de forma bem audível.

Não temos dúvidas sobre o que pensa a grande maioria dessa comunidade sobre o regime venezuelano. Muitos dos membros dessa comunidade são comerciantes. Ora, atendendo à política do regime venezuelano, que (quase) tudo fez para entravar a iniciativa privada, com os resultados que estão agora à vista de todos, não custa adivinhar o que pensa a grande maioria da comunidade portuguesa e luso-descendente aí residente (ou já regressada) sobre o regime venezuelano.

No entanto, mesmo essa comunidade estará neste momento muito hesitante em expressar a sua oposição ao regime, por razões mais do que compreensíveis. Quando a nossa vida não está em jogo, é (demasiado) fácil fazer grandes proclamações de princípio. E, por isso, o Eixo Paris-Berlim (a trave-mestra da auto-proclamada política externa comum da União Europeia) fez a sua proclamação de princípio – certa, como dissemos, mas só compreensível porque, ao contrário de Portugal, nem a Alemanha nem a França têm interesses reais em jogo.

Imaginemos, entretanto, um outro cenário. Imaginemos que a turbulência social e política no Brasil leve a uma deriva autoritária. Imaginemos agora que, face a isso, o eixo franco-alemão queira impor uma posição similar à posição que agora assume em relação à Venezuela. Deve o Governo Português, qualquer que ele seja, aceitar um corte de relações (ainda que por arrasto) com o nosso maior país-irmão? Nesse caso, a nossa extrema-esquerda iria decerto rejubilar (pois se já defenderam que Portugal não se deveria ter feito representar, ao mais alto nível, na tomada de posse de Jair Bolsonaro…), mas a resposta só pode ser um rotundo não. Não, não e não.

Em Junho, no Brasil, XIII Colóquio Antero de Quental…

XIII Colóquio Antero de Quental (dedicado à filosofia da educação luso-brasileira)

3 – 7 de Junho de 2019, Universidade Federal de Juiz de Fora (Brasil)

2ª-feira – 03/06/2019

Sessão especial em homenagem ao Prof. Dr. Ricardo Vélez Rodríguez

09h – Abertura oficial do evento

Mesa de abertura e Homenagem ao Dr. Ricardo Vélez Rodríguez. Saudação pronunciada pelo jornalista Lucas Berlanza, Presidente do IL e autor de vários livros e o Prof. José Mauricio de Carvalho, (UNIPTAN) organizador do evento;

Outros participantes da mesa: Dr. José Afrânio Vilela (TJMG), Dr. Ricardo Vélez Rodríguez (Ministro da Educação), Dr. Alberto Diniz Presidente da AMAGIS, Dr. José Esteves Pereira, Instituto de Filosofia Luso-brasileira.

10 h – Conferência de abertura: 1973-2018: 45 anos estudando o pensamento brasileiro

Dr. Ricardo Vélez Rodríguez –UFJF e Instituto de Filosofia Luso-Brasileira.

Ministro de Estado da Educação

11 h – O nascimento da problemática social no Brasil

Dr. Arsênio Correa – IBF

Debatedor – Dr. José Carlos Rodrigues – UFJF

12 – 14 h – almoço

14 h – A gênese da problemática brasileira: Reale, Soveral e Paim

Dr. Alexandro Souza – Prof. do Estado do Espírito Santo.

Debatedor – Dr. Arsênio Correa – IBF

15 h – O conceito de patrimonialismo em Ricardo Vélez Rodríguez

Dr. Humberto Coelho – UFJF

Debatedor: Dr. José Afrânio Vilela – TJMG

16 h – A recepção dos doutrinários e de Tocqueville por Ricardo Vélez

Dr. Marco Antônio Barroso – UEMG

Debatedor: Dr. Luciano Caldas Camerino

17 – Diagnose filosófica a partir da literatura, segundo o pensamento de Ricardo Vélez

Prof. Bernardo Goytacazes Araújo – Chefe de Gabinete da Prefeitura de Três Rios

Debatedor – José Carlos Rodrigues – UFJF

18 h – Ricardo Vélez e as ideias liberais no Brasil

Dr. Luciano Caldas Camerino – UFJF

Debatedor: Prof. Bernardo Goytacazes Araújo – Chefe de Gabinete da Prefeitura de Três Rios

3ª-feira – 04/06/2019

As filosofias da educação – momento colonial

9 h – A filosofia da educação lusitana no ensino colonial

Dr. Lúcio Marques – UFTM

Debatedor: Dr. Samuel Dimas – Universidade Católica Portuguesa

10 h – Sobre os currículos e o ensino da filosofia e da teologia no Brasil colonial

Dr. Roberto Hofmeister Pich – PUCRS

Debatedor: Dr. Lúcio Marques – UFTM

11 h – A filosofia da educação da Ratio Studiorum e sua aplicação no Brasil Colônia

Dr. Delmar Cardoso – FAJE

Debatedor: Dr. Roberto Pich – PUCRS

12 – 14 h – almoço

Filosofias da educação e formação do homem no pensamento brasileiro e português nos séculos XIX e XX.

14 h – A filosofia da educação do Pe. Antônio Vieira

Prof. Adelmo José da Silva Filho e Dr. Adelmo José da Silva – UFSJ

Debatedor: Dr. Adelmo José da Silva – UFSJ

15 h – A filosofia da educação em Teodoro de Almeida (1722-1804)

Dra. Marta Mendonça – Universidade Nova de Lisboa

Debatedor: Dr. Delmar Cardoso – FAJE

16 h – Educação ofendida ou defendida: as consequências do ideal antiescravista de Dom Viçoso no Seminário de Mariana (1787-1875)

Prof. João Paulo Rodrigues Pereira – FDLM

Debatedor: Dr. José Carlos Rodrigues – UFJF

17 h – Perspectivas morais e pedagógicas de Jean Marie Guyau no

pensamento português (1854-1888)

Dr. José Esteves Pereira – Universidade Nova de Lisboa

Debatedor: Dr. Renato Epifânio – Instituto de Filosofia da Universidade do Porto

18 h – A filosofia da educação de Leonardo Coimbra (1883-1936)

Dr. Manuel Cândido Pimentel – Universidade Católica Portuguesa

Debatedor: Dr. Luís Miguel dos Santos Sebastião – Universidade de Évora

4ª- feira – 05/06/2019

9 h – A filosofia da educação de Leonardo Van Acker (1896-1986)

Dr. Silvio Firmo do Nascimento – UNIPTAN

Debatedor: Prof. Sergio Mauro de Carvalho Tomáz – Prof. do Estado de MG

10 h – A filosofia da educação de Anísio Teixeira (1900-1971)

Dr. Paulo Roberto Andrade de Almeida – UFSJ

Debatedor: Dr. José Carlos Rodrigues

11 h – Uma filosofia da educação em Cecília Meireles (1901-1964)

Dr. Selvino Malfatti – UFSM

Debatedor: Dr. José Afrânio Vilela (TJMG)

12 – 14 h – almoço

14 h – ‎O horizonte último da formação do humano em José Marinho (1904-1975)

Dr. Renato Epifânio – Instituto de Filosofia da Universidade do Porto

Debatedor: Dr. Humberto Coelho – UFJF

15 h – Filosofia da educação do Pe. Manuel Antunes (1918-1985)

Dr. Samuel Dimas – Universidade Católica Portuguesa

Debatedor – Dr. Delmar Cardoso – FAJE

16 h – Florestan Fernandes: desafio educacional como perspectiva de futuro (1920-1995)

Dra. Francisca Eleodora Santos Severino – Universidade Nove de Julho

Debatedor: Dr. Adelmo José da Silva – UFSJ

17 h – Educação e revolução: uma análise crítica da proposta de libertação dos oprimidos em Paulo Freire (1921-1997)

Prof. Mauro Sérgio de Carvalho Tomaz – Prof. Do Estado de MG

Debatedor: Dr. Paulo Roberto de Andrade – UFSJ

18 h – Lima Vaz e a filosofia da educação (1921-2002)

Dra. Claudia Maria Rocha de Oliveira – FAJE

Debatedor: Dr. Samuel Dimas – Universidade Católica Portuguesa

5ª-feira – 06/06/2019

9 h – A filosofia da educação de Darcy Ribeiro (1922-1997)

Dr. Adelmo José da Silva – UFSJ e Dr. Paulo Roberto Andrade de Almeida – UFSJ

Debatedor: Dr. Paulo Roberto Andrade de Almeida – UFSJ

10 h – A busca da identidade da filosofia da educação no Brasil: o pionerismo de Dumerval Trigueiro Mendes (1927-1987)

Dr. Antônio Joaquim Severino – USP e Universidade Nove de Julho

Debatedor: Dr. Manoel Cândido Pimentel – Universidade Católica Portuguesa

11 h – A filosofia da educação de Eduardo Abranches de Soveral (1927-2003)

Dr. Antônio Braz Teixeira – Universidade de Lisboa

Debatedora: Dra. Marta Mendonça – Universidade Nova de Lisboa

12 – 14 h – almoço

14 h – A filosofia da educação de Leonardo Prota (1930-2016)

Dr. José Mauricio de Carvalho – UFSJ e UNIPTAN

Debatedor: Dr. José Esteves Pereira – Universidade Nova de Lisboa

15 h – Cogito antropológico e formação humana no pensamento de Manuel Ferreira Patrício (1938)

Dr. Luís Miguel dos Santos Sebastião

Debatedor: Prof. Bernardo Goytacazes Araújo

16 h – Ricardo Rodríguez: por uma educação guiada pelo liberalismo (1943)

Dr. Sandro Dau – UFES e Profa. Shirley Dau – UFSJ

Debatedor: Profa. Shirley Dau – UFSJ

17 h – Metifilia educacional Apac

Dr. Luís Carlos – TJMG

Debatedor: Dr. Humberto Coelho

6ª-feira – 07/06/2019

9 h – Debate Público sobre “As ideias de Lusofonia no Brasil”

11 h -Apresentação da revista Nova Águia e de outras obras MIL/ IFLB

Dr. Renato Epifânio – Presidente do MIL: Movimento Internacional Lusófono e Director da NOVA ÁGUIA

12 – 14 h – almoço

14 h – tarde livre

Imagem

26 de Fevereiro: 3ª Conferência Anual da PASC – Casa da Cidadania

26fev

Imagem

Agenda MIL para 2019

image

Congresso “Eça de Queiroz, nos 150 anos do Canal do Suez”

image eq

A 17 de Novembro de 1869, inaugurou-se o Canal do Suez, acontecimento com as maiores repercussões na época, nas mais diversas áreas (política, económica, cultural, religiosa, etc.), e que foi também uma via de abertura no diálogo entre o Ocidente e o Oriente.
Eça de Queiroz cobriu, como jovem jornalista, esse evento, publicando uma série de textos no “Diário de Notícias”, antecipando o escritor que viria a ser, um dos maiores escritores do mundo lusófono.
Cento e cinquenta anos depois, a Revista NOVA ÁGUIA, o MIL: Movimento Internacional Lusófono e o CLEPUL: Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, em parceria com diversas Instituições, irão assinalar a efeméride, promovendo um Congresso a decorrer entre os dias 15 e 18 Novembro de 2019, na Sociedade de Geografia de Lisboa e na Biblioteca Nacional de Portugal, que irá abordar os seguinte tópicos:
– Eça de Queiroz como jornalista;
– Eça de Queiroz como escritor inspirado pelas suas viagens;
– Representações do Médio Oriente oitocentista na obra de Eça de Queiroz e na literatura portuguesa coeva;
– A importância do Canal do Suez na época;
– O Médio Oriente na altura e hoje.

Caso pretenda participar neste Congresso, deverá enviar-nos uma proposta (com título e resumo) até final de Fevereiro, para info@movimentolusofono.org

Comissão Organizadora: Renato Epifânio, Annabela Rita, Octávio dos Santos, Pedro Correia e Rui Lopo

Para mais informações: https://queiroz150suez.blogspot.com/

4 de Fevereiro: Colóquio do Centenário do Nascimento de Afonso Botelho

afonso botelho - cartaz 2019 (1)

Colóquio do Centenário do Nascimento de Afonso Botelho

4 de Fevereiro de 2019 | Palácio da Independência (Salão Nobre)

Programa

09h30 | SESSÃO DE ABERTURA

09h40 | CONFERÊNCIA I

António Braz Teixeira | APOLOGIA E HERMENÊUTICA NA OBRA DE AFONSO BOTELHO

10h10 | PAINEL I

Manuel Cândido Pimentel | O TEMA DA SAUDADE NA TEORIA‎ DO AMOR E DA MORTE DE AFONSO BOTELHO

Maria de Lourdes Sirgado Ganho | DO CORAÇÃO E DA RAZÃO EM AFONSO BOTELHO

Miguel Real | A FICÇÃO EM AFONSO BOTELHO

Teresa Dugos Pimentel | SOBRE A MÓNADA HOMEMULHER EM AFONSO BOTELHO

11h30 | INTERVALO

11h40 | PAINEL II

Emanuel Oliveira Medeiros | EDUCAÇÃO E SAUDADE EM AFONSO BOTELHO: CONHECIMENTO, CULTURA DOS MESTRES E CIVILIDADE

Jorge Rivera | O LIMIAR DA VISÃO E A MODERNIDADE DO OLHAR: ESTÉTICA E ENIGMÁTICA NA PINTURA DOS “PRIMITIVOS PORTUGUESES”

José Almeida | AFONSO BOTELHO, UM ARISTOCRATA EXEGETA DE D. DUARTE

Mendo Castro Henriques | AFONSO BOTELHO E A UTOPIA POLÍTICA

13h00 | ALMOÇO

14h30 | TESTEMUNHOS

José Esteves Pereira, Joaquim Domingues, Pinharanda Gomes e Rodrigo Sobral Cunha

15h10 | CONFERÊNCIA II

Guilherme d’Oliveira Martins | AFONSO BOTELHO E O CENTRO NACIONAL DE CULTURA

15h40 | PAINEL III

António Cândido Franco | AFONSO BOTELHO DESCONHECIDO

Elísio Gala | O ABC DA LEALDADE

Paulo Borges | RELIGIÃO DO AMOR E SAUDADE A PARTIR DE AFONSO BOTELHO

16h40 | INTERVALO

16h50 | PAINEL IV

Luís Lóia | MITO E MITOS FUNDANTES: A POSSIBILIDADE DO DISCURSO DA SAUDADE

Renato Epifânio | DA FILOSOFIA COMO “SABEDORIA DO AMOR”

Samuel Dimas | A REFLEXÃO DE AFONSO BOTELHO SOBRE “A RENÚNCIA CRISTÔ

17h50 | INTERVALO

18h00 | LEITURA INTERPRETADA E COMENTADA DA PEÇA O HÁBITO DE MORRER, DE AFONSO BOTELHO (direcção de Jorge Castro Guedes; com Adérito Lopes, Ângela Pinto, Guilherme Filipe, Lúcia Maria e Paulo Lages)

19h30 | ENCERRAMENTO