Nota de pesar do MIL Cabo Verde sobre o falecimento da cantora cabo-verdiana Titina Rodriguês

Albertina Alice dos Santos Rodrigues, sobejamente conhecida por Titina Rodriguês (1947-2022), nasceu na Cidade do Mindelo, ilha de São Vicente, Cabo Verde, e faleceu em Setúbal, Portugal, a 06 de Maio de 2022, país onde vivia há já muitos anos. Reconhecida intérprete da musicologia das ilhas de Cabo Verde, Titina, que sempre esteve (e há-de estar) na memória coletiva do Povo cabo-verdiano, se elevou espiritual, estética e artisticamente nos géneros da morna e da coladeira, tendo a estes emprestado uma Voz única e singular, melancólica e saudadora, verdadeiro pulsar da alma da nossa Terra, sempre em articulação com a interculturalidade com que cantou B.Leza em Portugal, mormente na morna Tejo, enviando um recado para as ilhas de Cabo Verde via “ondas sagradas do Tejo/ deixa-me beijar as tuas águas/ deixa-me dar-te um beijo/ Beijo de saudade…”.

A cantora, que começou a cantar desde a tenra idade, deixou um legado, vários discos, obras-primas da cultura musical cabo-verdiana, fruto das suas interpretações acerca das composições de renomadíssimos compositores. Igualmente ela foi homenageada pelo Governo de Cabo Verde e pela SOCA (Sociedade Cabo-verdiana de Autores), uma homenagem bem merecida. Fica a obra, que é Grande; que é fonte de inspiração aos jovens artistas que, naturalmente, precisam de referência(s) e exemplaridade.

Uma palavra de conforto a todos os familiares e amigos da cantora.

Os comentários estão fechados.