7 de Outubro: Francisco Manuel de Melo e Luís António Verney

Uma vez mais por iniciativa do Instituto de Filosofia Luso-Brasileira, em parceria com a Revista NOVA ÁGUIA, o MIL: Movimento Internacional Lusófono e, neste caso, o Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos, da Universidade de Coimbra, realizar-se-á no dia 7 de Outubro do corrente ano, na Biblioteca Nacional de Portugal, em Lisboa, um Colóquio sobre o pensamento e obra de D. Francisco Manuel de Melo (1608 – 1666), por ocasião dos 350 anos do seu falecimento.
Para dar conta das várias facetas do pensamento deste historiador, pedagogo, moralista, autor teatral, epistológrafo e poeta, considerado como o representante máximo da literatura barroca peninsular, convidámos os maiores especialistas na sua obra. Assim, na parte da manhã, ouviremos António Braz Teixeira, Duarte Ivo Cruz, Manuel Cândido Pimentel, Manuel Ferreira Patrício e Pinharanda Gomes – e, na parte da tarde, Ana Paula Banza, Deana Barroqueiro, José Carlos Seabra Pereira, Manuel Curado e Teresa Amado.
A encerrar o Colóquio, lançaremos o volume (edição MIL: Movimento Internacional Lusófono/ DG Edições, co-organizado por António Braz Teixeira, Octávio dos Santos e Renato Epifânio), com mais de 400 páginas, que recolhe os textos das comunicações apresentadas no Congresso Internacional “Luís António Verney e a Cultura Luso-Brasileira do seu tempo”, realizado, em Lisboa, igualmente na Biblioteca Nacional de Portugal, de 16 a 18 de Setembro de 2013, e no Colóquio “No tricentenário de Luís António Verney”, organizado pelo Centro de Estudos de História e Filosofia da Ciência e pelo Centro de Estudos em Letras, da Universidade de Évora, onde decorreu, de 21 a 23 de Março do ano seguinte.
Conforme escreveu António Braz Teixeira, no seu prefácio à obra: “Estamos certos de que o presente volume constitui um relevante e inovador contributo para enriquecer a já abundante bibliografia sobre o pensamento e a obra de Luís António Verney e o contexto cultural, especulativo e pedagógico em que se desenvolveu e veio a influenciar de modo decisivo, se bem que ainda hoje controverso.”. Fica, pois, o convite para, no dia 7 de Outubro, na Biblioteca Nacional de Portugal, a quem agradecemos o acolhimento, revisitarmos estas duas figuras singulares da nossa cultura – a entrada é livre.

Os comentários estão fechados.