MIL: Movimento Internacional Lusófono

Apoiado por muitas das mais relevantes personalidades da nossa sociedade civil, o MIL é um movimento cultural e cívico registado notarialmente no dia quinze de Outubro de 2010, que conta já com mais de 30 milhares de adesões de todos os países e regiões do espaço lusófono. Entre os nossos órgãos, eleitos em Assembleia Geral, inclui-se um Conselho Consultivo, constituído por uma centena de pessoas, representando todo o espaço da lusofonia.
Defendemos o reforço dos laços entre os países e regiões do espaço lusófono – a todos os níveis: cultural, social, económico e político –, assim procurando cumprir o sonho de Agostinho da Silva: a criação de uma verdadeira comunidade lusófona, numa base de liberdade e fraternidade.
SEDE: Palácio da Independência, Largo de São Domingos, nº 11 (1150-320 Lisboa) NIB: 0036 0283 99100034521 85; IBAN: PT50 0036 0283 9910 0034 5218 5; BIC: MPIOPTPL; NIF: 509 580 432
Caso pretenda aderir ao MIL, envie-nos um e-mail: adesao@movimentolusofono.org (indicar nome e área de residência). Para outros assuntos: info@movimentolusofono.org. Contacto por telefone: 967044286.

Continuar a ler

Fotos do Debate sobre Lusofonia organizado pela Juventude Socialista (Fórum da Maia, 18.05.2015)

 Mesa: Renato Epifânio, Garcia Leandro, João Torres, Ramos-Horta e José Luís Carneiro

Alguns ecos nos media…

O SOL, 24 de Abril de 2015

Jornal Público, 17 de Março | Jornal O Diabo, 24 de Março (2015)

Público, 29.12.2014
Também publicado no Jornal “O Diabo” (06.01.2015) e no sítio do Observatório de Língua Portuguesa:

III Congresso da Cidadania Lusófona · A Importância das Diásporas · 31 de Março – 1 de Abril · 2015 · Reportagem Vídeo · 2º dia.


Intervenção de Carlos Mariano Manuel, da Liga Africana.


Sobre a Diáspora, um apontamento de Abel de Lacerda Botelho, da Fundação Lusíada.


Intervenção de Zeferino Boal, da Casa de Angola.


Intervenção de Renata Baracat, do Conselho de Representantes de Brasileiros no Exterior.


Intervenção de José Mário Botelho, da Academia Brasileira de Filologia.


Intervenção de Mário de Carvalho, da Associação Caboverdeana.


Intervenção de Maria Dovigo, da Associação Pró-Academia Galega da Língua Portuguesa.


Intervenção de Maria Virgínia Brás Gomes, da Casa de Goa.


Intervenção de Djarga Seidi, da Associação Balodiren, da Guiné Bissau.


Intervenção de Manuel Pechirra, da Associação Fernando Pó, pela Guiné-Equatorial.


Intervenção de Sílvio Santos, da Associação Fernando Pó, pela Guiné-Equatorial.


Intervenção de José Ângelo Lobo do Amaral, do Instituto Internacional de Macau.


Intervenção de Luísa Timóteo, da Associação Coração de Malaca.


Intervenção de Delmar Gonçalves, Presidente do Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora.


Intervenção de Guilherme d’Oliveira Martins.


Intervenção de Ivónia Nahak Borges, de Timor. em representação do MIL Timor-Leste e do SAPO Timor-Leste.


Intervenção de Danilo Salvaterra, da Casa Internacional de São Tomé e Príncipe.


Intervenção final de Renato Epifânio, Presidente do MIL – Movimento Internacional Lusófono.


Intervenção de António Gentil Martins, em representação da PASC – Casa da Cidadania.


Intervenção de José Eduardo Garcia Leandro, em representação da PASC -Casa da Cidadania.


Intervenção de Mendo Henriques, em representação da PASC – Casa da Cidadania.


Intervenção de Maria Perpétua Rocha, Coordenadora da PASC – Casa da Cidadania, na Sessão de Encerramento do III Congresso de Cidadania Lusófona.

Carta de D. Ximenes Belo ao MIL…

Exmos. Senhores membros do 3.º Congresso da Cidadania Lusófona

Minhas Senhoras e Meus Senhores

Não podendo estar corporalmente presente no 3.º Congresso a decorrer na Sociedade de Geografia de Lisboa, que envie esta breve mensagem como sinal da minha presença solidária.

Permiti-me que dirija, antes de tudo, as minhas sinceras, cordiais e respeitosas saudações a todos os congressistas.

Em boa hora o Movimento Internacional Lusófono coordena, no âmbito da PASC: Plataforma de Associações da Sociedade Civil, mais este Congresso, onde estarão presentes personalidades de vários quadrantes geográficos do mundo lusófono. É uma oportunidade de ouro para examinarmos o momento presente do Movimento e as perspectivas do seu desenvolvimento e expansão no futuro.

É uma realidade que o Movimento Internacional Lusófono constitui uma força aglutinadora de iniciativas tendentes a fazer perdurar valores culturais, históricos, religiosos e sociais que unem milhões de pessoas que, embora espalhadas pelas quatro partidas do mundo, têm “um só coração e uma só alma”, ou seja, um coração lusófono e uma alma lusófona. A lusofonia é a nossa casa comum! É o nosso modo de vida! E a nossa visão do mundo! Desde cedo o Movimento Internacional Lusófono sentiu que o destino do Homem e do Mundo seria a união entre credos e povos, porque da união dos homens nasce uma imensa luz de fraternidade, de sabedoria e de espiritualidade.

Timor-Leste não pode ficar à margem deste movimento cultural e social. Por isso, espero que o Movimento Internacional Lusófono intensifique a sua influência em Timor-Leste que corre o perigo de ser sufocado pelo mundo malaio e anglo-saxónico. Neste ano, Timor-Leste está a comemorar os quinhentos anos da chegada das caravelas às costas marítimas da “Ilha do Crocodilo”. Há quinhentos anos, no período alto dos Descobrimentos e da Expansão Portuguesa, embarcações lusas, envergando a cruz de Cristo, estabeleceram os primeiros contactos comerciais, religiosos e culturais com os povos malaios da Insulíndia. Ainda hoje, é patente, naquela zona do mundo, a herança espiritual portuguesa, sobretudo, na ilha de Timor, “onde o Sol, logo em nascendo, vê primeiro”.

Aos organizadores do 3.º Congresso auguro as maiores felicidades!

Dom Carlos Filipe Ximenes Belo

Prémio Nobel da Paz 1996

III Congresso da Cidadania Lusófona · A Importância das Diásporas · 31 de Março – 1 de Abril · 2015 · Reportagem Vídeo · 1º dia.


Intervenção de Luís Aires Barros, Presidente da Sociedade de Geografia de Lisboa e de Philip Baverstock, da CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Intervenção de Maria Perpétua Rocha, Coordenadora da PASC – Casa da Cidadania na Abertura do Congresso.

Intervenção de Renato Epifânio, Presidente do MIL – Movimento Internacional Lusófono na Abertura do Congresso.

Intervenção de Luísa Janeirinho, da Sphaera Mundi.

Intervenção de Adriano Moreira.

Intervenção de Ângelo Cristóvão.

Atribuição do Prémio Personalidade Lusófona 2014 a Gilvan Müller de Oliveira.

Intervenção de Gilvan Müller de Oliveira, Prémio Personalidade Lusófona 2014.

Intervenção de Maria João Neves.


Intervenção de Ana Cristina Silva Araújo.


Intervenção de António João Saraiva.

17 Abril | Lançamento da NOVA ÁGUIA 15

Ver vídeo:
https://www.youtube.com/watch?v=8lgqiy0B0HU

Balanço do III Congresso da Cidadania Lusófona

Navegou num mar revolto o Programa do III Congresso da Cidadania Lusófona – decorrido nos dias 31 de Março e 1 de Abril na Sociedade de Geografia de Lisboa -, mas, no final, estiverem representados todos os países e regiões do espaço lusófono: Angola, Brasil, Cabo Verde, Galiza, Goa, Guiné-Bissau, Guiné-Equatorial, Macau, Malaca, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. No primeiro dia, após a Sessão de Abertura, em que intervieram Luís Aires Barros (Sociedade de Geografia de Lisboa), Philip Baverstock (CPLP: Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), Maria Perpétua Rocha (PASC: Plataforma de Associações da Sociedade Civil. Casa da Cidadania), Renato Epifânio (MIL: Movimento Internacional Lusófono) e Luísa Janeirinho (Sphaera Mundi: Museu do Mundo), Adriano Moreira, Presidente Honorário dos Congressos da Cidadania Lusófona, deixou-nos mais uma inesquecível Lição de Sapiência, a juntar às dos anos anteriores. Sem esquecer a intervenção de Ângelo Cristóvão, em representação da Galiza, e dos restantes oradores da tarde, destacamos a presença do brasileiro Gilvan Müller de Oliveira, a quem foi atribuído o Prémio MIL Personalidade Lusófona 2014, pelo seu papel à frente do Instituto Internacional de Língua Portuguesa. Mais um nome a integrar a insigne lista de premiados, que aqui recordamos: Lauro Moreira (Brasil): 2009 | Ximenes Belo (Timor-Leste): 2010 | Adriano Moreira (Portugal): 2011 | Domingos Simões Pereira (Guiné-Bissau): 2012 | Ângelo Cristóvão (Galiza): 2013. No dia seguinte, toda a atenção se virou para os representantes das várias Associações da Sociedade Civil de todos os países e regiões do espaço lusófono, em sucessivos painéis, presididos, da parte da manhã, por Abel de Lacerda Botelho (Fundação Lusíada) e Ângelo Cristóvão (Observatório de Língua Portuguesa), e, da parte da tarde, por Alarcão Troni (Sociedade Histórica da Independência de Portugal), Alexandre da Fonseca (Instituto dos Mares da Lusofonia) e Guilherme de Oliveira Martins (Centro Nacional de Cultura) –, tendo terminado a sessão com as intervenções de alguns membros da PASC: falamos, nomeadamente, de António Gentil Martins e Garcia Leandro, que estiveram presentes durante todo o Congresso, bem como de Mendo Castro Henriques. O dia, porém, terminou, no Clube Militar Naval, em ambiente festivo, num magnífico jantar animado musicalmente pelo Grupo, bem lusófono, Manga di Rônco. E continuou na noite seguinte, num outro jantar, com o Presidente e o Secretário-Geral da Liga Africana, Carlos Manuel Mariano e Victor Fortes, em Belém. E continuou ainda nos dias seguintes, com as muitas trocas de e-mails: de felicitações, de pedidos de contactos e de informações. Estes Congressos, com efeito, têm servido também para isso: para consolidar e alargar uma rede de contactos e de afectos, que, neste ano, se alargou a várias diásporas lusófonas. Não fizessem elas parte, de pleno direito, desta nossa Comunidade de Língua Portuguesa. 44 MESA DE ENCERRAMENTO António Gentil Martins, Garcia Leandro e Mendo Castro Henriques – com Renato Epifânio e Maria Perpétua Rocha. 39 SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE: Danilo Salvaterra TIMOR-LESTE: Ivónia Nahak Borges Moderação: Guilherme de Oliveira Martins (Centro Nacional de Cultura) 34 MACAU: José Lobo do Amaral MALACA: Luísa Timóteo MOÇAMBIQUE: Delmar Gonçalves Moderação: Alexandre da Fonseca (Instituto dos Mares da Lusofonia) 26 GOA: Maria Virgínia Brás Gomes GUINÉ-BISSAU: Djarga Seidi GUINÉ-EQUATORIAL: Manuel Pechirra Moderação: Alarcão Troni (Sociedade Histórica da Independência de Portugal) 23 CABO VERDE: Mário de Carvalho GALIZA: Maria Dovigo Moderação: Ângelo Cristóvão (Observatório de Língua Portuguesa) 18 ANGOLA: Carlos Mariano Manuel e Zeferino Boal BRASIL: Renata Baracat e José Mário Botelho Moderação: Abel de Lacerda Botelho (Fundação Lusíada) 14 COMUNICAÇÕES LIVRES Maria João Neves, Ana Cristina Silva Araújo e António João Saraiva Moderação de Joaquim Rocha Afonso, Vice-Presidente do MIL 1410 PRÉMIO PERSONALIDADE LUSÓFONA 2014 Gilvan Müller de Oliveira Com Renato Epifânio, Presidente do MIL, e José Lobo do Amaral, em representação do Instituto Internacional de Macau 04 A LUSOFONIA E AS DIÁSPORAS Adriano Moreira e Ângelo Cristóvão Moderação de Maria Perpétua Rocha 03 SESSÃO DE ABERTURA Luís Aires Barros (Sociedade de Geografia de Lisboa) Philip Baverstock (CPLP: Comunidade dos Países de Língua Portuguesa) Maria Perpétua Rocha (PASC: Plataforma de Associações da Sociedade Civil. Casa da Cidadania) Renato Epifânio (MIL: Movimento Internacional Lusófono) Luísa Janeirinho (Sphaera Mundi: Museu do Mundo)