Arquivos Diários: Maio 1, 2012

Como seremos um país economicamente viável? (Sandro Mendonça)

Ciclo de Debates “Reaprender a Democracia”: Como seremos um país economicamente viável?

Professor de Economia do ISCTE

Ciclo de debates organizado conjuntamente pelo
MIL: Movimento Internacional Lusófono
http://www.movimentolusofono.org
e pela
PODe: PODe: Plataforma Outra Democracia
http://podept.blogspot.pt

.o rácio da dívida pública no PIB estava dentro das médias internacionais até que se chega ao ano 2000, em que esta explode de forma radical.
.a nossa pretensa inviabilidade é um fenómeno recente
.o nosso problema é mais a economia privada – a quem se devem pedir contas – da situação atual
.em Portugal pensamos que o conceito de “nação” é mais operativo do que ele de facto é.
.temos que nos desalavancar da Europa. Valores em risco, falta de proximidade e solidariedade.
.há uns anos atrás dependíamos muito das exportações para o mercado europeu, mas a partir de 2012, descemos de 77 para 72%. Este crescimento tem ocorrido mais para Argélia, Marrocos, EUA, Angola, China e Polónia. Nao esta aqui nem o Brasil (pelo seu extremo protecionismo).
.O que temos exportado? Principalmente máquinas-ferramenta, componentes de máquinas-ferramentas, serviços intangiveis (turismo, transporte, etc) há uma transformação em curso dos nossos parceiros comerciais. Muitas exportações são exportações de Saudade, para o mercado da Diáspora.
.deriva cega em colocarmos apenas em foco o crescimento económico
.a economia delicada de Catarina Portas: produtos de proximidade, uma economia de despecialização crescente. Uma economia leve e de sensibilidade.
.sermos crioulos e mestiços e a economia barroca por oposição à ética protestante dominante.